,

Estresse no Trabalho

O Estresse no Trabalho é bem presente no cotidiano das pessoas, ocasionando afastamento das atividades profissionais, aposentadoria precoce e risco de vida aos trabalhadores, influenciando diretamente na saúde. Esta exaustão emocional pode ser um dos sintomas da Síndrome de Burnout, ou síndrome do esgotamento.

Regulamento da Previdência Social relacionada ao Estresse no Trabalho

De acordo com a Lei nº3048/99 da Previdência Social, esta síndrome é classificada como a doença do trabalho, e atinge o ser humano de várias maneiras, seja como fase depressiva ou agressiva. A palavra Burnout significa, do inglês, combustão interna. Os fatores estressantes são diferentes para cada pessoa, porém, tem o mesmo efeito: diminuir a realização pessoal, por meio da exaustão emocional.

Este esgotamento é identificado como falta de energia e fadiga para realizar o trabalho. Este é o nível mais alto de estresse, causando sintomas somáticos, como dores no corpo e disfunção digestiva.

O portador desta síndrome adquire comportamentos, como: Estresse no Trabalho

  1. evitar pessoas do trabalho;
  2. não comparecer ao trabalho;
  3.  apatia em conversas;
  4. negar a necessidade de ajuda de profissionais capacitados e outras pessoas;
  5. negação ao cuidar de sua aparência;
  6. transferência de responsabilidades entre outras condutas.

Síndrome de Burnout e o Estresse no Trabalho

O Burnout atinge vários professores, que, pela carga diária liberam cortisol (hormônio de resposta do estresse). Esta síndrome assume o importante papel de informar ao sujeito e indivíduos ligados ao mesmo, que algo no seu corpo não está bem. Deve-se atentar aos sintomas, como os presentes na depressão e agressividade, pois, primeiramente são estes que ocupam o primeiro nível desta disfunção.

Ao identificar alguns indícios é indispensável buscar tratamento, o primeiro passo é dialogar com o superior em seu trabalho. É importante expor fatos e acontecimentos, seguido da procura de médico, o qual, estabelecerá o melhor tratamento farmacológico. Este tratamento tem relação com as dores e outros sintomas causados pela síndrome. O auxílio  psicoterápico deve ser buscado, independente de alguma abordagem específica. O trabalho deste profissional pode ser temporário, ter longa duração ou de prevenção. Além de todos estes tratamentos é necessário existir a necessidade de mudança de vida para minimizar o estresse e a ansiedade que acompanha.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *