, ,

ANSIEDADE

A Ansiedade é visto como algo essencial para todo ser humano, se não existisse correríamos o risco de viver com tranquilidade exagerada e apatia. Esta, é caracterizada por um sentimento de vazio, associado ao medo, tensão, desconforto e inquietação.  O problema encontra-se no momento em que este tema torna-se problemático.

E como sei quando que esta sensação que sinto é negativa? Primeiramente é preciso de uma autoavaliação, questionando se é passageira, relacionada a algo específico, de momento e limitada em questão de tempo. Caso não seja, a sensação que está ocorrendo não é a necessária para a vida. Este, é o transtorno mais comum das perturbações mentais.

Ansiedade

Os Transtornos de Ansiedade

Dentro do quadro das disfunções de ansiedade, existem vários transtornos, como o de Ansiedade generalizada. As características da pessoa portadora giram em torno de:

  1. medo excessivo;
  2. pânico e
  3. comportamentos irracionais frente a qualquer situação, podendo desencadear a ansiedade.

Fobias

As fobias específicas são identificadas por medo de estar em público, pavor de ter ataques de pânico. Enquanto a fobia social, existe o  receio em ser avaliada e julgada por outras pessoas. O transtorno do pânico, é baseado no medo em ter medo, a crise de ansiedade é aguda, contendo sintomas somáticos com sensação de morte. As pessoas que sofrem desta disfunção ficam dependentes de seus familiares, o sujeito priva-se de realizar suas atividades diárias.

O tratamento é realizado concomitantemente entre a psicologia e a psiquiatria. Nestes casos a farmacologia correta associada ao autoconhecimento e criação de estratégias de proteção contra os ataques de ansiedade é de vasta importância para obter melhoras no tratamento. A intervenção pode durar tempos distintos dependendo do caso e do paciente em questão. É significativo que o sujeito identifique, desde o início dos sintomas, que precisa de ajuda para restabelecer sua qualidade de vida.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *